quinta-feira, 14 de abril de 2011

Novo perfil


“Existem pessoas que precisam da ausência para querer a presença. Às vezes você tem que esquecer o que você quer, para começar a entender o que você merece. A vida não está dando errado pra mim, pelo contrário, a cada dia está apenas mostrando uma pequena parte do que pode acontecer se eu fizer a escolha errada. Já dei muito valor ao que perdi. Chegou a hora de valorizar o que conquistei!"

 
Não faço jus ao que eu ontem era, tanto que nem me reconheço em horas atrás. Quando precisamos de mudança, eu não espero que ela ache-me, eu vou ao seu encontro. Depois de meses tentando descobrir quem eu sou, acho que descobri algumas partes do que eu não sou. Creio que para um começo, como em uma prova de múltipla escolha que em certas questões você tem que ir pelo legendário “unidunitê”, eu estou indo bem. Pegando esse mesmo raciocínio, eu tive que decidir o que eu quero e o que eu não quero mais em minha vida. Infelizmente, achei essa alternativa muito juvenil e pouco adequada para sinalizar um passo adiante. Decidi por aquilo que eu mereço e ao qual já conquistei. Não preciso achar “novos amores”. Mesmo executando a filosofia do: “no time, no love, no out of focus”, eu decidi que não encontrarei quem eu estiver procurando se continuar dessa maneira. Deixarei que a pessoa me ache. Enquanto isso eu regarei meu jardim, cuidarei dele como um amor de mãe resguarda um filho e deixarei que algumas restritas borboletas ou pássaros amigos possam voar para seu maior encanto matinal. Não mudarei meu caráter, no entanto “things chance, people change” eu terei que aprimorar-me ainda mais. Não desejos pessoas que me fazem bocejar ou criar noites de tormenta em minha vida participar usando o seu livre arbítrio. Não é egoísmo genuíno, é apenas censo catedrático. Acrescente-me com o que você tem de melhor que eu mostrarei o melhor que há em mim. Sentirei saudade de algumas coisas, porém sofro as conseqüências por viver uma vida ao qual eu nem sequer sabia a 19 anos atrás. Eu vou chorar, eu vou sorrir, eu vou falar o que eu sinto. Se a sociedade desgostar ou eu não seguir o modelo como as pessoas agem umas com a outras, na boa, foda-se! Eu conquistei inúmeras coisas, está na hora de alimentar as plantas vívidas e de tonalidades brilhantes verdejantes que eu tenho e não olhar o que há de melhor no jardim do vizinho. As pedras que me atiram eu vou recolhê-las e colocá-las em minha carteira para saber o quanto forte é o poder das pessoas sobre mim. O mau que eu atraio será simplesmente fruto da minha total cativação nula. O sorriso que cativo sendo o melhor ator que eu posso ser estará estampado em meu rosto. O menino ciumento e possessivo que apenas quis um dia viver em um mundo ao qual as pessoas namoravam para querer estar do lado de outra pessoa unicamente e exclusivamente, que havia conversas entre ambos e que respeito e cuidado eram primordiais desde o primeiro toque de amor irá continuar a existir dentro de alguma parte de meu corpo. Serei tudo que eu quiser ser, no momento que melhor agradar-me para ter de volta ou encontrar pela primeira vez em minha vida aquele Arthur que não tem nem nome e que se encontra em mim, apenas. (Arthur Kaiser)     


Um comentário:

  1. o melhor!

    me diz pq passamos coisas iguais juntos?

    ResponderExcluir